EP 2013

by Subversilvas

/
  • Streaming + Download

    Includes high-quality download in MP3, FLAC and more. Paying supporters also get unlimited streaming via the free Bandcamp app.

      name your price

     

1.
02:45
2.
03:04
3.
03:43
4.
04:38
5.

credits

released July 13, 2013

Gravado por Bernardo Pacheco em Março de 2013 no estúdio Fábrica de Sonhos, São Paulo, SP (fabricadesonhos.bandcamp.com)
Mixado e masterizado por William Blackmon (www.blackmon.se)
Arte por João Henrique Palma e Fellipe Fonseca Morello

tags

license

all rights reserved

about

Subversilvas São Paulo, Brazil

contact / help

Contact Subversilvas

Streaming and
Download help

Redeem code

Track Name: Lutar
Vivendo a vida como tiver de ser
Com a cabeça erguida não há o que temer
As ruas são cruéis, não vão perdoar
Algumas feridas nunca vão se fechar
Só há maldade ONDE há medo
Os olhos abertos mantém o espírito ileso
A guerra é brutal, mas a paz será feita
Através da escuridão a luz espreita
Viver é Lutar
Arrancando todo ódio de dentro do peito
O homem que perdoa mostra do que é feito
As dores do mundo não podem abalar
A fé daqueles que nasceram para lutar
Só há maldade onde há medo
Os olhos abertos mantém o espírito ileso
A guerra é brutal, mas a paz será feita
Através da escuridão a luz espreita
Viver é Lutar
Track Name: USA
Imperialismo a verdade que ninguém quer ver
Só uma nação ditando o que se deve comprar e vender
O terceiro mundo é um mero fantoche
Nas mãos de ferro do grande irmão do norte
Eles só querem UxSxA-lo
UxSxA-lo

Dizem-se protetores da humanidade
Guardiões da paz e liberdade
Mas sob a lâmina cortante de suas vontades
Sua bandeira revela-se mero disfarce
Eles são todo o terror que dizem combater
Eles são todo o terror!
Track Name: Miséria
Não comer, perecer
Agora e todo dia...
A vida com que se sonha...
É a vida que termina...

Acordar sabendo o que não se ensina:
Acordar sabendo o que não se ensina:
O povo está só, o povo está sofrendo
Exclusão, discriminação...
São esses os motivos que temos para nos orgulhar!?

Prisão, eliminação...
Esse é o fim dos que não podem pagar
Esse é o fim dos que não podem pagar....

Liberdade
Nunca é tarde..
Mas por piedade
Não vamos ajoelhar

Chega de esperar pelo perdão
Chega de esperar pelo perdão...
De um crime que nos acusa a lei que aprova a nossa exploração
Essa lei é a desigualdade...
Desigualdade
É a lei dos homens que dizem ter a verdade
ESSA verdade é uma grande mentira
Ela nos diz que os que nada têm não merecem sua vida

Aceitação não é a cura,
Temos de saber que vivemos na ditadura...
Do consumismo, da mídia alienante

Enquanto lá fora a miséria é sufocante
Enquanto lá fora a miséria é sufocante

Liberdade,
Nunca é tarde..
Mas por piedade
Não vamos nos curvar

Até
quando
vamos
tolerar!?

Essa Miséria?
Track Name: Brasil
Abandonados à nossa falta de sorte...
Estamos condenados por nascer no terceiro mundo...
Indisputável colônia daqueles...
Que se dizem os primeiros...
Sob a opulência do autodeclarado mundo desenvolvido
Está toda violência... todo abuso de que somos criaturas...
Nós...
Quem somos nós?
Continuamos então sem saber...
Esmagados por uma dívida criada para não ser paga...
Mas arrancada...
Das profundezas do coração brasileiro oprimido...
Lavando essa terra com mais e mais sangue...

O sangue, o medo, o ódio, o incerto são as cores da bandeira do Brasil
O branco foi violado,o azul virou cinzas, o verde morreu, e o amarelo ninguém viu
Um país que vive acossado, não poderá se livrar do passado
Os grilhões que fizeram escravos, ainda nos prendem aos mesmos, aos mesmos carrascos

O narcotráfico sempre foi a lei
Nesta terra parida pela rapina...
Do escambo ao crime organizado
Das drogas naturais à química fina
Um país que vive acossado, não poderá se livrar do passado
Os grilhões que fizeram escravos, ainda nos prendem aos mesmos, aos mesmos carrascos
Dentro das favelas, crianças são as sentinelas
De armas na mão
Mantêm o tráfico em operação
O Estado corrupto é parte deste jogo sujo
A polícia desempenha seu papel, treinando matadores de aluguel
Não há futuro
O horizonte é obscuro
Não há futuro...Não!
Não há futuro...Não!

A guerra
civil
toma conta
do Brasil

Políticos que roubam, uma elite que não pensa
Está instituída nossa redenção intelectual
O contrato já foi assinado...
A parte que nos cabe é a entrega incondicional
ao capital
internacional
Toda cultura que nos resta
É a cultura da obediência cega
É um ajoelhar-se que não tem fim
Não tem fim!
O coração-brasileiro-sangra-oprimido
Track Name: Extrospection
There's no such a thing
as self-improvement
There's no such a thing
as self-sufficiency

Searching deep inside,
the soul we find...
lives in and for…
the collective,

It is time to...
tame the wolves...
and put an end to
the war of each against all

To look beyond the reach of individuality
To live beyond the realm of individuality
To transcend inner passions and self pity
To refuse personal promotion and self worship

Self centered or self-imprisioned?
Self made or self overwhelmed?
Pre-judgment, hate, a BOTTOMLESS ABYSS
of dying flesh ... fugacious passions
Feed on themselves, departing ourselves
from each other
from each other

To look beyond the reach of individuality
To live beyond the realm of individuality
To transcend inner passions and self pity
To refuse personal promotion and self worship